10 erros que cometi como CEO de uma startup

(Até agora)

Vamos lá.

Paulo Tenorio Filho foi convidado a ter o seu artigo em ContaAzul Notícias por trazer um ponto de vista interessante acerca de um assunto que interessa ao empreendedor. Exceto por essa nota, o texto foi publicado na íntegra.
  1. Achar que não sabia fazer sem tentar. 
    Apesar da audácia em se meter sem conhecer o meio, guardado o bom senso, acreditar que não sabia foi um dos piores erros que cometi.
  2. Escutar muito quem só quer falar.
    No meio de startups é fácil achar gente com growth hacks, técnicas de num sei o que, recomendações de livros… e afins. O problema é que pouca gente realmente sabe do que está falando e vai te usar como ouvido pois precisa falar que aprendeu algo. Isso pode te fazer correr atrás do rabo e dar voltas em busca de um caminho que não existe.
  3. Imaginar que todo mundo que contratei teria que sofrer comigo.
    Como founder é fácil colocar a turma pra se laskar com você. Na boa, não faz isso. Exija profissionalismo, comprometimento mas nunca, nunca queime sua equipe ou compare o esforço deles com o seu. Eles devem trabalhar duro no horário estabelecido, eles vão ter uma vida melhor que a sua e muitas vezes vão parecer que não estão nem aí para a empresa. Apenas por curtir um final de semana ou estar de boa enquanto você está cheio de problemas. Aguenta o tranco e não se torne rancoroso.
  4. Delegar sem passar tudo que precisava pra executar a tarefa e principalmente sem escolher a pessoa certa.
    Aprender a delegar é um arte. Procure saber tudo da tarefa, veja quem tem mais perfil pra executar e só assim passe um briefing completo da tarefa. Vai evitar muita dor de cabeça.
  5. Esconder meus erros atrás de desculpas.
    Exemplo: “ no Brasil não há investidor anjo… não tem dinheiro” . 6 meses depois eu descubro que eu não estava pronto para receber dinheiro. não entendia do meu mercado. não tinha feito meu dever de casa e se quer tinha validado. Eu errava e colocava a culpa no outro.
  6. Acreditar que bastava produto para vender. e que um produto bom vende sozinho.
    Veja bem. Produto é preciso pra vender. Mas cara é um pedacinho do negócio. Produto não viraliza assim tão fácil. Se os deuses do trabalho duro te abençoarem com um produto que se vende sozinho, isto é, um produto que conseguiu resolver um problema da forma que o mercado precisava naquele momento e conseguiu encontrar um canal suficientemente grande para expandir, aí sim você pode dizer que viralizou. Mas cara, geralmente é um a cada 100.000 produtos lançados que isso acontece.
  7. Imaginar que o que é regra no vale do silício é regra aqui.
    Na boa. Engoli corda de que o vale sim era o lugar. Investidores por todos os lados. E maior chance de crescer seu negócio. O conhecimento estava em livros e técnicas de especialistas de Stanford, Harvard e afins... Cara depois que o tempo passou, descobri que os investidores tem teses diferentes no Brasil, que o mercado aqui é diferente. As regras de marketing e desenvolvimento de produto também bem diferentes. Descobri, depois de 3 anos que existe o jeito brasileiro de fazer tecnologia e negócio. E que poucas regras do Vale, valem por aqui.
  8. Aumentar os problemas do negócio antes de tentar resolver.
    Eu tenho um plugin instalado na cabeça que automaticamente multiplica por 10 qualquer problema que tenho. Hoje, desinstalei. Mas durante muito tempo me preocupava de mais com os problemas. hoje se tenho um problema, tento resolver assim que possível.
  9. Deixar vendas para depois.
    Se você tem uma startup a tentação de incorporar o Steve Jobs é muito grande. É preciso ter fé que seu produto vai mudar o mundo. Mas lembre-se. Até mesmo o Jobs era focado em vendas. Vender é uma arte negligenciada por startupeiros. Todo mundo quer criar produtos foda e contratar um time de marketing e vendas. Por isso se fodem tanto. Eu falo sempre com quem eu posso, se pudesse mandar um email para o Paulo de 3 anos, diria: “Estude e respeite vendedores. Foque em vendas e não acredite em growth hacking até ter vendido 1000 assinaturas.”
  10. Deixar ansiedade tomar conta da minha cabeça por não saber como crescer o negócio.
    É fácil de mais achar que você tem que saber todas as respostas. Uma dica: você não é tão bom quanto pensa. Então você nunca vai ter todas as respostas. Nem é para ter. Isso é coisa de filme. Você precisa saber contratar e deixar as pessoas trabalharem. No coletivo está a reposta para os problemas, não na sua cabeça. A ansiedade de ter que fazer tudo pode te levar a depressão e o pior, acabar com seu projeto. Aprenda a confiar no seu instinto e principalmente a confiar em quem trabalha com você.

Sou CEO e fundador da Trakto, www.trakto.io
Eu to sempre no Facebook aperriando os outros com minhas histórias: https://www.facebook.com/pauloblob