Photo: Death to the Stock Photo

Você tem o câncer do freelancer?

Câncer do Freelancer: Quando clientes ruins multiplicam mais rápido do que você consegue dizer, “Afinal de contas, o que é o Câncer do Freelancer?”

Você provavelmente conhece a história. O Joãozinho é um designer que está começando e quer finalmente ganhar dinheiro com isso. Então ele faz o que a maioria dos designers que estão começando fazem: ele trabalha por trocados para colocar o seu trabalho na rua.

Coaching Criativos foi convidada a ter o seu artigo em ContaAzul Notícias por trazer um ponto de vista interessante acerca de um assunto que interessa ao empreendedor. Exceto por essa nota, o texto foi publicado na íntegra.

Na melhor das hipóteses o Joãozinho não consegue nenhum cliente, chora todas as noites antes de dormir, e um dia acaba caindo neste post.

Agora na pior das hipóteses, o Joãozinho fecha com alguns clientes e tem uma falsa ilusão de sucesso.

Deixa eu explicar.

Como o Joãozinho cobra barato pelo seu trabalho, os clientes (obviamente) vão amá-lo. E para mostrar que ele é profissional, é provável que ele faça um bom trabalho e ainda entregue antes do prazo. Rápido e Barato.

O boca a boca começa a surtir efeito e Joãozinho fica conhecido como o designer que é rápido e barato. A inbox do Johnny explode de clientes e jobs (clientes como esses se multiplicam a cada minuto). Este é o “falso sucesso”.

Um belo dia, enquanto está virando a madrugada para entregar os jobs, Joãozinho pensa consigo mesmo, “to cheio de jobs, tenho clientes que me pagam, acho vou aumentar o meu preço para eu poder trabalhar menos.”

Senhoras e senhores, aqui está o problema. A principal razão pela qual os clientes do Joãozinho estão com ele é por causa do seu preço e da sua rapidez, e não por causa de sua qualidade. Não importa se o Joãozinho é um designer brilhante. Quando os clientes olham pra ele, eles só vêem duas coisas: rápido e barato.

Ele se posicionou e cresceu em um nicho do mercado que valoriza rápido e barato, não qualidade. Joãozinho tem o Câncer do Freelancer.

Fim.

Brincadeira. Isso seria muito mórbido.

Joãozinho tem algumas opções para se curar, mas nenhuma delas é rápida ou barata.

Primeiro, é quase impossível* o João conseguir mudar a percepção de valor que seus clientes tem dele (rápido e barato). Nem mesmo Jesus conseguiu mudar a percepção que o pessoal de sua cidade natal tinha dele. *não é 100% impossível, mas quando acontece leva bastante tempo.

João precisa de novos clientes. Ele precisa identificar um novo mercado e/ou se reposicionar através de uma nova marca. Parece drástico, mas é o único caminho. A maioria dos artistas de sucesso fizeram isso pelo menos uma vez na vida. Foi assim que Katy Hudson se tornou Katy Perry, por exemplo. Vou esperar você abrir outra tab e googlar a história.

Outras vezes isso é simples como comprar um novo domínio e criar um novo site. Por exemplo, se o Joãozinho usa o seu nome (www.joãozinho.com.br) ele pode comprar um novo domínio (www.designerfantastico.com.br) e oferecer seus serviços lá.

Quando eu fiz isso pela primeira vez como diretor de video, além de criar um nome fantasia, eu deletei todo o meu portfolio (reel) e deixei apenas dois videos que refletiam o meu novo posicionamento. Ainda estou colhendo as recompensas dessa escolha.

A única maneira de curar o câncer do freelancer é começando de novo. Seja em um novo mercado ou com uma nova marca. Não há atalhos.

Eu sei que o assunto é complexo e tem vários pontos que eu deixei de fora. Mas tudo bem, não almejo curar o câncer com um único post.

Leo Rapini
Master Coach
leo [@] coachingcriativos.com.br
www.coachingcriativos.com.br

***Descubra aqui como fazer com que novos clientes paguem até 2X mais pelo seu trabalho!***